sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

DÉFICE DE ENGENHEIROS

Melo Ribeiro, formado no IST e presidente da Siemens, disse que a Alemanha precisa de 100 mil engenheiros. Por cá, parece que não são precisos: há engenheiros a mais (!) por todo lado, a começar pela Administração Pública e a acabar no governo, aonde Carlos Moedas anda noutras engenharias.
A provar que em Portugal não há défice de engenheiros, a reitoria da Universidade Católica anunciou ontem o fim dos cursos de engenharia. 

Ligações: Na Juventude, animador cultural ou engenheiro tanto dáNo Estado, chefe de divisão de obras é juristaProfissionais sem habilitações...Este país não é para engenheiros; LNEC lança curso de especialização para diplomatas.

Sem comentários:

Publicar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
                    TEMAS PRINCIPAIS
AUSTERIDADE  -  CONTAS PÚBLICAS  -  CONTRATAÇÃO PÚBLICA  -  CORRUPÇÃO  -  CRISE FINANCEIRA  -  CULTURA  -  DESPORTO  -  DGEMN  -  DIA COMEMORATIVO  -  DIREITOS FUNDAMENTAIS  -  DÍVIDA PÚBLICA  -  EDUCAÇÃO  -  ECONOMIA & FINANÇAS  -  ESTADO DA NAÇÃO  -  ÉTICA  -  HABILITAÇÕES  -  HUMOR  -  JUSTIÇA  -  LEGALIDADE  -  NOMEAÇÕES  -  PATRIMÓNIO IMOBILIÁRIO PÚBLICO  -  PLANO INCLINADO  -  POLÍTICA  -  POLÍTICA CULTURAL  -  PRACE  -  PRINCÍPIO DA MELHORIA INCONTESTÁVEL  -  REABILITAÇÃO  -  TERREIRO DO PAÇO