domingo, 31 de julho de 2011

A LOJA MOZART

Ainda no artigo de Ricardo Costa, não deixa de, pelo menos, nos deixar a pensar a influência da loja Mozart no SIED e na Ongoing a tal ponto, que talvez fosse sensato legislar no sentido desta loja e outras semelhantes concorrerem às próximas legislativas e, assim, enriquecerem o poder democrático.
Transcrevemos mais um extracto do artigo 'Ex-diretor do SIED ainda pedia informações após a saída', cuja leitura sugerimos com a Mozart 40 como música de fundo.

Nesse dia 2 de novembro, Jorge Silva Carvalho ainda não tinha sequer apresentado a sua demissão, mas já conhecia bem o presidente da Ongoing, até porque são 'irmãos' de maçonaria na loja Mozart, da Grande Loja Regular de Portugal, a mais influente no mundo dos negócios e das informações no nosso país.
Só seis dias depois no dia 8 de novembro, é que Jorge Silva Carvalho viria a apresentar a demissão. Uma saída que deu muito nas vistas, por ser pedida em cima da realização da Cimeira da NATO, um acontecimento que trouxe a Lisboa a elite da política mundial. No dia 28 de novembro, três dias antes de deixar os serviços, Silva Carvalho troca alegadamente informações sobre metais preciosos com João Paulo Alfaro, outro espião e maçon (também da loja Mozart) que agora trabalha na Ongoing.

Sem comentários:

Publicar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
                    TEMAS PRINCIPAIS
AUSTERIDADE  -  CONTAS PÚBLICAS  -  CONTRATAÇÃO PÚBLICA  -  CORRUPÇÃO  -  CRISE FINANCEIRA  -  CULTURA  -  DESPORTO  -  DGEMN  -  DIA COMEMORATIVO  -  DIREITOS FUNDAMENTAIS  -  DÍVIDA PÚBLICA  -  EDUCAÇÃO  -  ECONOMIA & FINANÇAS  -  ESTADO DA NAÇÃO  -  ÉTICA  -  HABILITAÇÕES  -  HUMOR  -  JUSTIÇA  -  LEGALIDADE  -  NOMEAÇÕES  -  PATRIMÓNIO IMOBILIÁRIO PÚBLICO  -  PLANO INCLINADO  -  POLÍTICA  -  POLÍTICA CULTURAL  -  PRACE  -  PRINCÍPIO DA MELHORIA INCONTESTÁVEL  -  REABILITAÇÃO  -  TERREIRO DO PAÇO