terça-feira, 30 de novembro de 2010

Wikileaks sob novo ataque DDoS

wikileaks[1]O Wikileaks anunciou no Twitter que está  sob novo ataque de negação de serviço (Distributed Denial of Service, DDoS), excedendo 10 Gigabits por segundo. Este ataque deixou a página inacessível aos utilizadores da Europa e dos Estados Unidos e é um método utilizado frequentemente pelos hackers quando querem impedir o acesso ou torná-lo mais lento.
Entretanto, a China bloqueou o acesso ao site do Wikileaks, tendo o ministro dos Negócios Estrangeiros chinês afirmado que não deseja perturbações nas relações bilaterais com os Estados Unidos.

Leis Penais Extravagantes

A Universidade Católica leva a efeito hoje, às 18 horas, no edifício Biblioteca João Paulo II (Piso 2) a conferência de lançamento do livro “Comentário das Leis Penais Extravagantes”, sobre um estudo inédito de 112 leis penais, que envolveu 29 magistrados (juízes e procuradores), coordenados pelo professor universitário Paulo Pinto de Albuquerque e pelo procurador José Branco.
Leis Penais Extravagantes é a designação técnica para as leis que estão fora do Código Penal, padecem de vícios e são incompatíveis com outras existentes. Por isso são ineficazes, sendo necessário revogá-las ou proceder à sua actualização. Como paradigma das falhas, cita-se o caso do abate do lobo ibérico, criminalizado pela Lei nº90/88, que não prevê qualquer pena. Em contrapartida, crimes graves como o terrorismo estão fora do Código Penal.
 

VALE DO TUA – Universo virginal de um Reino Maravilhoso

De acordo com o Anúncio nº10853/2010, publicado no Diário da República 2ª série do dia 11 de Novembro, o processo de classificação da linha do Tua como património de interesse nacional foi arquivado, com base num parecer da Secção do Património Arquitectónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura. Desconhece-se a fundamentação do parecer. Presume-se, no entanto, que os senhores conselheiros nunca visitaram a região, pois se a tivessem visitado, enxergariam que este “excesso de natureza”* além de ser do interesse nacional, satisfaz em simultâneos vários dos critérios necessários para a classificação como património da humanidade, e não seria de esperar outra coisa, visto que a linha do Tua desagua na linha do Douro, a escassas centenas de metros do local onde se prevê construir a barragem do Tua, numa área, classificada há mais de 10 anos pela UNESCO, justamente, como Património da Humanidade.
Douro e Tua irmanam-se numa mesma realidade desmesurada, na solenidade da paisagem, num “nunca acabar de terra grossa, fragosa, bravia, que tanto se levanta a pino num ímpeto de subir a céu, como se afunda nuns abismos de angústia, não se sabe por que telúrica contrição”, nos costumes, nas crenças, no clima, na rudeza e integridade das gentes. O homem que desbravou os socalcos do Douro é o mesmo que, calço a calço, susteve nesgas de terra, onde estacas de oliveira medram e alumiam a sua árdua existência, cavou os cantos onde laranjeiras perfumam a primavera, construiu uma geia donde brota o néctar que aqui também é vinho fino; é o mesmo que, corajosamente, palmo a palmo, metro a metro rasgou precipícios, transpôs abismos e furou penedos para construir os túneis e assentar os carris que o haviam de ligar ao progresso; é o mesmo que, destemidamente, lavrou um sulco ondulante num despenhadeiro de pedras e laijões, discreta e genuína obra de engenharia, perfeitamente integrada naquele “universo virginal”, naquela “paisagem robusta solene e profunda”, obra conjunta do homem e da natureza, que Miguel Torga sublimemente pintou. Aqui, porém, o degredo é ainda mais espinhoso que no Douro: os murtórios são fragas a pique onde nem as cabras se equilibram, o xisto é granito rude e duro e o rio, selvagem, ainda “corre magoado de cachão em cachão” num zoar permanente que, no Inverno é medonho, mesmo para os mais afoitos.
O vale do Tua, lugar em que homem e natureza se confundem, desde tempos ancestrais, é manifestamente um sítio de beleza natural e estética de excepcional importância, em que a forma genial e harmoniosa como a linha férrea foi integrada na paisagem ilustra a significativa importância que, embora tardiamente, a máquina a vapor e o comboio tiveram na história social e económica de Tras-os-Montes, na metade inicial do século XX. É um sítio em que as pedras evocam memórias longínquas, ainda intactas, de rituais pré-históricos, de povoados visigóticos, mouras encantadas, romanos diligentes e cristãos destemidos.
Por estas e por outras razões, os senhores conselheiros deveriam conhecer ou pelo menos, indagar no local aquilo que importaria conhecer para, serena e sabiamente emitirem o seu douto parecer. Se se tivessem dado ao deleite de visitar este vale e as suas gentes, seguramente, aconchegariam o corpo e a alma e enriqueceriam o ego de sabedorias ancestrais, que é coisa que os senhores conselheiros muito prezam. Mas ainda o podem fazer, depressa, antes que a barragem lhes troque as voltas e lhes aniquile este “universo virginal”. Batam à porta deste “reino maravilhoso” em S. Mamede de Ribatua, saboreiem um naco de bola de carne, acompanhada com as suas afamadas laranjas – de manhã são ouro – visitem o pelourinho e saiam pela ponte romana, contemplem a imponência da paisagem na Penadaia, em que rio, linha e fragas são, ao mesmo tempo, inferno purgatório e paraíso, visitem o caixão dos mouros, os castelos de Safres e dos Barcos, na ténue linha que separava a fronteira entre cristãos e mouros, desçam ao Amieiro, um presépio de casas, oliveiras, laranjeiras e sobreirais, comam e um doce de figos em Carlão, onde nas fragas estão impressos lagares do tempo dos romanos. Depois, atravessem o rio, deliciem-se com um copo de vinho fino, nas margens bucólicas de Brunheda, regenerem o corpo com um banho nas termas de S. Lourenço, deleitem-se com uma alheira estaladiça no Pombal, que é lugar de vinho de primeira e desçam a linha até ao Tua. Apreciem as obras de arte da engenharia oitocentista – viadutos, túneis e muros, suspensos no abismo das fragas más e, mesmo que não tenham a sorte de poderem admirar uma lontra, mirem as nasseiras, onde, antes das barragens do Douro, se apanhavam lampreias, imaginem o gemido das mós, nos moinhos abandonados, inebriem-se com o perfume de carquejas, bela luzes, alecrins e rosmanos que, “como manjericos à janela”, prodigiosamente, brotam de fragas, aparentemente estéreis, e contemplem a majestade dos sobreiros centenários, que, nesta fortaleza de pedras, guardam a linha e o rio. Se tiverem tempo relancem os olhos pelas encostas e, encarrapitados nos abismos descubram antigos armazéns de vinho, abandonados, ainda com lagariça, peso e restos da rabadeira onde encastrava a trave da prensa. Chegados ao Tua, como recompensa, um pratinho de peixes do rio, com pão de Favaios e vinho da Ameda e, claro, mais um cálice de vinho fino, daquele que no estrangeiro apelidam de vinho do Porto, mas que tem berço neste “reino maravilhoso”, prosa de Miguel Torga, de leitura recomendada aos senhores conselheiros.
Por fim, passem pelos adros das igrejas, no fim da missa, e falem, mas, sobretudo, ouçam, ouçam as gentes da terra e então verão que ainda há reinos maravilhosos que merecem ser estudados, conhecidos, acarinhado e preservados: “O que é preciso, para os ver é que os olhos não percam a virgindade original diante da realidade, e o coração depois não hesite.”
Depois, sim, elaborem o vosso douto parecer.
Texto: João Zimbreiro, com a ajuda de Miguel Torga




____________________
*Alexandre Herculano

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Cultura: Aidos sente impotência perante a máquina

O Director-Geral das Artes, João Aidos, em funções desde Julho deste ano, disse a Tiago Costa do "Público" que sente uma grande impotência perante uma máquina difícil de contrariar.
Aidos diz que, se saísse neste momento, era um descalabro e tudo seria pior. Estou num processo de defesa, a tentar encontrar outros modos de financiamento e resolver casos pendentes, consciente de que o trabalho é muito. Há uma falta de estratégia política do primeiro-ministro. A estratégia foi esgotada pelo orçamento. Não é possível ter uma estratégia sem um orçamento mínimo, disse.

Ligação para a entrevista completa: http://ipsilon.publico.pt/artes/texto.aspx?id=270384

domingo, 28 de novembro de 2010

Wikileaks divulga mais de 250 mil documentos reservados de embaixadas americanas

Mais de 250 mil de documentos secretos de embaixadas norte-americanas sobre "todos os grandes temas" mundiais estão a ser divulgados pelo Wikileaks, na sequência da videoconferência, com os jornalistas do fundador da organização Julian Assange.
Entretanto, a Wikileaks anunciou hoje, através do  Facebook e do  Twitter que está a ser vítima de um ataque informático, mas que isso não vai impedir a prevista divulgação de documentos secretos norte-americanos.
A administração norte-americana já fez saber que esta divulgação pode colocar muitas vidas em risco, ameaçar operações militares e prejudicar as relações dos Estados Unidos com os seus aliados.


Pode acompanhar a divulgação dos documentos secretos nos sites de El País, Le Monde, Der Spiegel, The Guardian e The New York Times .


+ 1,7 milhões mal gastos

Os seis blindados Cougar*, tão necessários para a segurança da cimeira da NATO (!), começaram a chegar, há oito dias, e a sua entrega, pelo fornecedor canadiano, vai ocorrer já depois do evento. A justificação da urgência para o procedimento por ajuste directo*, tal como a própria necessidade da aquisição, foram tão pouco convincentes, que Carlos Moreno não teria hesitado em inscrever este caso no seu livro sobre a má gestão dos dinheiros públicos.
Há um claro desperdício de dinheiro, pois falhou o objectivo principal da compra do material: a cimeira e provou-se que não havia razão para tanta pressa. O ajuste directo deve ser uma excepção, já que é um processo pouco transparente. O funcionamento normal do mercado é a única garantia para que o Estado realize o melhor negócio, são palavras de Carlos Moreno, a propósito deste caso.
Mais uma despesa, a ser paga por todos nós, que exige uma explicação pública por parte da entidade adjudicante (Governo Civil de Lisboa e/ou do ministro da Administração Interna, que o tutela). Se muitos dos nossos peritos em segurança manifestam dúvidas sobre a utilidade deste "investimento", mesmo para utilizar no Afeganistão ou noutras missões  no estrangeiro, os portugueses têm direito a saber como o Estado gasta o seu dinheiro.


_____________________________________
* Produzidos pelos americanos das Force Protection Industries .
**Através da plataforma electrónica VortalGOV .

Sugestão: Leia o nosso post Carlos Moreno conta-nos como o Estado gasta o nosso dinheiro

sábado, 27 de novembro de 2010

Aeroporto de Beja: Tribunal de Contas não percebe o que é a realidade ?

Há cerca de um mês já tínhamos perguntado, Aeroporto de Beja: mais um investimento ruinoso do Estado ? . Veio agora, o Tribunal de Contas (TC), num relatório de auditoria vindo a público ontem, chamar a atenção para a falta de rigor na gestão do investimento, ao afirmar que o empreendimento pode vir a custar 74 milhões de euros quando tinha sido previsto investir menos de metade (34 milhões).
Actualmente o encargo financeiro já está nos 35,4 milhões de euros, somando os custos de expropriações de terrenos, empreitadas, aquisições diversas de bens e serviços e despesas de funcionamento da Empresa de Desenvolvimento do Aeroporto de Beja, SA (EDAB).
No relatório do TC, estima-se que venha a ser necessário mais 39 milhões para que o aeroporto fique pronto a funcionar e realça-se que as três empreitadas de construção do aeroporto custaram 26,5 milhões (mais 2,3 milhões que o valor de adjudicação de 24,2 milhões).
Atrasos e mais atrasos na execução das empreitadas e na abertura do aeroporto (que estava prevista para 2008), estão na origem de mais uma derrapagem que poderia ter sido evitada.
Para além da derrapagem, nesta fase, ainda muita gente se questiona sobre a rentabiidade e a utilidade do projecto, numa altura de crise, em que os investimentos têm que ser necessáriamente mais ponderados e selectivos.

Em contraponto ao relatório do TC, (re)veja alguns sofismas...



sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Seguro: sacrifícios devem ser partilhados por todos

O orçamento foi hoje aprovado na Assembleia, com a abstenção dos deputados do PSD, com excepção dos deputados pela Madeira, que votaram contra.
Os deputados do PS votaram a favor, mas com algumas declarações de voto. António José Seguro justificou a sua posição em nome dos princípios: o País, no estado em que está, em que pede sacrifícios aos portugueses, esses sacrfícios têm que ser partilhados por todos de uma forma justa. Ninguém pode ficar excluído desses sacrifícios, declarou.




Sugestão: Leia o nosso artigo Pela liberdade de voto para os deputados .

Remodelação à vista

Segundo anunciam o "i" online  e o "Sol" a remodelação do governo está em marcha. Um governo, mais adequado à crise, com menos ministros, vai surgir a todo o momento:
Saídas: Luís Amado, Ana Jorge, Dulce Pássaro e António Mendonça.
Entradas: Basílio Horta (Negócios Estrangeiros), Adalberto Campos Ferreira (Saúde), Luís Nazaré (Obras Públicas).
A remodelação estaria a ser reivindicada pelo partido do governo, como transparece de declarações de alguns militantes, nomeadamente de António Costa, que tem realçado a deficiente acção do governo muito assente no primeiro-ministro e em alguns ministros e com muitas áreas a descoberto e muitos ministros a não acompanharem a iniciativa do primeiro-ministro.


Sugestão: Leia o nosso artigo, de 1 de Novembro, Remodelação governamental à vista ?

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Já viu bem a sua factura de electricidade ?

Mais de 40% do valor facturado não diz respeito a consumos de energia, mas aos chamados "custos de interesse geral".
Na factura de electricidade, há custos impostos ao sector que resultam de opções políticas e medidas legislativas. Mas se estes “Custos de Interesse Geral” fossem reduzidos em 10%, estaríamos perante uma redução na factura na ordem dos 5%, em vez de um aumento de 3,8 % num serviço público essencial, como a electricidade.
Para muitas famílias, os aumentos em simultâneo em várias áreas de consumo pode ser dramático. Por isso, exigimos cortes nos custos extra que pesam na factura mensal da electricidade.
Junte-se ao nosso protesto. Assine a petição da DECO para dar força à nossa intervenção junto do Governo e da Assembleia da República.
(in portal da DECO)

Depois da greve, vamos trabalhar ?

As perspectivas do governo e dos sindicatos quanto à adesão à greve estão muito distantes e variam, contabilisticamente, entre 20 e 60 por cento, e, qualitativamente, um foi tranquila e não alterou o consumo de energia, versus a maior greve de sempre.
De boas intenções está o inferno cheio e poucas pessoas acreditam que uma retórica de que as opções tomadas pelo governo destinam-se em grande parte a fazer algo que é um dos objectivos da greve: defender o emprego e os direitos dos trabalhadores possa convergir com populismos como o défice não pode ser o centro de todas as políticas, pondo em causa o emprego e contra uma política monetarista imposta pelos alemães.
A crise, mais que uma obsessão europeia com o défice, é uma realidade, mesmo que se possa reconhecer a necessidade de repor a protecção social às camadas mais desprotegidas e de repartir os sacrifícios, indo até onde está a riqueza.
A greve geral vai mudar o país e vai começar a mudar a política. Vai mostrar a José Sócrates e a Pedro Passos Coelho que eles não representam o país e que há uma maioria que quer sensatez, que quer decência na economia, quer justiça no fisco, diz Louçã. Será mesmo ? Que greve podem fazer os desempregados ?
Afinal, para que serviu a greve ? Que há insatisfação pela actual situação do país, todos sabemos. O governo sabe. E o número de grevistas não aumenta nem diminui o nosso descontentamento, nem diminui o défice das contas públicas.
Votámos em em quem não devíamos, em quem nos acenou com a demagogia do estado social que não podemos pagar ? Sem dúvida, porque governar é gerir e prever e tomar medidas em tempo oportuno. Está na hora de enfrentar a crise e de mudar de vida. Tempo de crise é tempo de ruptura e de despedir os políticos actuais. É preciso acordar. Como diz o Padre Ventura, temos uma barraca com um submarino estacionado à porta*.



______________________________________________________
*Reveja o nosso artigo Austeridade: a reflexão do Padre Ventura .

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Telenovela portuguesa ganha Emmy

A telenovela 'Meu amor', produzida pela Plural para a TVI, foi galardoada com o Emmy 2010 da Academia Internacional de Televisão ( 38th INTERNATIONAL EMMY® AWARDS GALA ), que teve lugar a 22 de Novembro, em Nova Iorque.
Esta distinção é um prémio de nível mundial e já mereceu as felicitações à TVI do presidente Cavaco Silva.
A telenovela, que teve como principais protagonistas, Alexandra Lencastre, Margarida Marinho, Rita Pereira, Nicolau Breyner e Marco D'Almeida, tendo como autor António Barreira e produtor Hugo de Sousa, é a historia de 3 mulheres cujos destinos se cruzam depois um acidente de aviação e tem Lisboa como cenário.
A Plural foi fundada em 2009 e é a maior produtora de ficção portuguesa, incorporando a Plural espanhola e a produtora de Nicolau Breyner NBP.
Rita Pereira na "38th INTERNATIONAL EMMY® AWARDS GALA"

O primeiro Emmy para Portugal

terça-feira, 23 de novembro de 2010

A paz que a Justiça não traz

Francisco Guerra foi ontem, à noite, à Grande Entrevista de Judite de Sousa (RTP), despertar a nossa consciência colectiva para a dor silenciosa dos humilhados e ofendidos da rede de pedofilia da Casa Pia, reavivando-nos a memória de que os crimes existiram de facto, em contraponto com as poderosas tentativas  de "branqueamento", feitas por alguns protagonistas, através da comunicação social.
Ficcionando o factualismo criminal com pseudónimos que constam do livro Uma dor silenciosa*,  Francisco Guerra deixa-nos em desassossego quanto à possibilidade da rede de pedofilia continuar activa, ao afirmar que continuam em lugares chave da instituição Casa Pia, funcionários implicados na rede.
Retratou o político e alto funcionário "Pedro Ramos" que esteve preso e foi, depois, despronunciado, dizendo que  "é, de todos, aquele de quem tenho mais nojo e o que mais odeio", porque "foi sempre o que mais me maltratou. Era muito mais violento do que os outros e batia-me enquanto me penetrava."
O antigo casapiano, que não escondeu a sua afectividade por Carlos Silvino (acusado da ligação e do recrutamento de rapazes), é, agora, um empregado de mesa que procura a paz interior e estuda música, mas que continua inquieto, nomeadamente com a memória das fotografias que Silvino lhe mostrou  de alunos da Casa Pia a serem abusados por homens, uns que foram julgados e outros que nunca foram chamados à Judiciária.
Uma inquietação que nos alerta para a impunidade de alguns poderosos, que transparece também de outros casos mediáticos, e nos coloca perante um défice bem mais grave que o financeiro: o défice de Justiça.

________________________
*Editado pela Leya, lançado na passada quinta-feira.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

O elogio da leitura

O Naked Girls Reading é um grupo de mulheres bonitas que gostam de ler... nuas. É isso. E não é mais que isso. Já se imaginou, rodeado de belezas femininas, a ler, por exemplo, Os Lusíadas ou A Mensagem ?  
A ideia inovadora surgiu na América e o escopo destas tertúlias é fomentar o gosto pela leitura e pelos clássicos da literatura. E de uma maneira original. Lembram-se de quando assistimos a lições de literatura e filosofia, com os professores a ler, ficamos a dormir ? Com um cenário de belas mulheres ficaremos bem despertos e abertos à cultura.
Provávelmente, muitas mulheres vão gostar de se apresentar assim, frente aos seus admiradores como as senhoras do Naked Girls Reading, que começou, em Março de 2009. em Chicago, por iniciativa da stripper Michelle L'amour e do escritor e fotógrafo Franky Vivid, que já propagou a ideia ao Canadá.
Uma ideia interessante para Portugal, de incentivo à nossa literacia, quando vai haver cortes severos no orçamento do próximo ano.

domingo, 21 de novembro de 2010

Também houve anti-cimeira

Das várias manifestações anti-cimeira, destaca-se a promovida pela plataforma Paz Sim! NATO Não!, promovida por mais de 100 organizações*, que contou com a presença de Jerónimo de Sousa que enunciou, como objectivo da manif, demonstrar inquietação porque não é uma cimeira em que se procure a paz e a cooperação entre os povos... é uma cimeira da guerra e do militarismo.


______________________________________
*entre as quais se contam o CPPC; a CGTP-IN; a JCP; a Interjovem; a Confederação Nacional das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto; o Movimento Democrático de Mulheres; o PCP; o PEV, etc.

O fim de semana de Obama em Lisboa

A chegada

O encontro com Cavaco


"Rússia é parceiro e não adversário"


A partida

sábado, 20 de novembro de 2010

No congresso da APDC: Ministro repete discurso do seu secretário de Estado

O ministro António Mendonça e o secretário de Estado, Paulo Campos, repetiram o mesmo discurso a abrir e a fechar o último dia do 20º Congresso das Comunicações da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC).
(Fonte: Expresso)

Que alguns ministros não fazem os seus discursos, já sabíamos. Não imaginávamos é que nem sequer os liam, antes das cerimónias oficiais... Nem eles, nem os seus ajudantes. Isto só vem conferir o que temos dito, sobre a falta de perfil para o cargo, dos nossos governantes (Leia o nosso recente artigo Paulo Azevedo a primeiro ministro) .

Se calhar, alguns ministros era bem melhor que ficassem a dormir durante as cerimónias oficiais, como aconteceu, recentemente, com o nosso embaixador em Timor Leste. (Veja este post delicioso do blogue Pau para toda a obra ).


sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O que se vai discutir na cimeira da NATO, em Lisboa

Anders Fogh Rasmussen, secretário-geral da NATO disse que a cimeira de Lisboa será uma das mais importantes cimeiras da história da aliança, sendo esperadas, este fim de semana, em Portugal, decisões dos aliados no sentido duma NATO mais eficaz, mais comprometida e mais eficiente.


Síntese da história da NATO

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Paulo Azevedo a primeiro ministro

O Presidente executivo da SONAE foi ontem ao Negócios da Semana, de Gomes Ferreira (SICnotícias) e disse que ainda não tinha conseguido perceber a necessidade de um comboio de alta velocidade Madrid-Lisboa.
Afirmou, também, que é preciso acabar com a situação actual, em que o debate político é quase ensurdecedor: luta-se muito por fazer parecer certas coisas e não se consegue ter um debate sério na opinião pública sobre os problemas reais do País e, óbviamente, seria desejável haver um acordo entre as principais forças políticas para mudar isso, mas parece que não estamos perto.

Paulo Azevedo* tem aquilo que a maior parte dos nossos governantes não têm: experiência de gestão, alicerçada numa formação académica sólida e adequada, para gerir e tomar as melhores opções para governar um grupo privado. Se cometer erros sofre as consequências.
Era assim, com um perfil destes, que precisávamos de ter o nosso primeiro ministro e os nossos ministros. Com formação académica a valer e experiência profissional e de gestão. Exceptuando, talvez, Dulce Pássaro (que é uma engenheira verdadeira do IST) e Mariano Gago (que é Físico e professor catedrático do IST, podiam regressar todos aos seus lugares de origem, que o País só tinha a lucrar, porque nem as suas próprias casas devem saber gerir, quanto mais um País.
O País está farto de retórica e de profissionais da política que não têm sequer formação académica a sério, nunca tiveram vida profissional e nunca geriram nada. Não teriam lugar em qualquer empresa privada séria, daquelas que vivem do trabalho e do esforço do dia.
Numa altura de crise, é altura de cortar com maus hábitos e escolher gestores a sério para ministros. Sócrates - como diz Henrique Neto - é um bom vendedor de automóveis, ou de produtos chineses made in Portugal. Vive do show off e do marketing - que também faz falta às empresas e aos países - mas tem que ser superintendido por um gestor competente e profissional, como o Paulo Azevedo.

___________________________________
*Paulo Azevedo foi escolhido para substituir o pai, Belmiro de Azevedo, na presidência executiva (CEO) da Sonae SGPS, pouco depois de ter completado 41 anos de idade e um ano depois de ter dito que não sabia se era a pessoa mais bem preparada para dirigir os destinos do grupo.
Completou o ensino secundário em Inglaterra e mais tarde uma licenciatura em Engenharia Química (tal como o pai) em Lausanne, na Suíça.
Com um MBA (mestrado em gestão e administração) na Universidade do Porto e pós-graduações em programas de formação para executivos nas universidades de Stanford (uma das mais prestigiados dos EUA) e de Lausanne, Paulo Azevedo fundou a Optimus depois de um curto período em que geriu projectos próprios.
Actualmente, é o presidente executivo da Sonaecom com funções de administrador executivo na casa-mãe (a Sonae SGPS) e de administrador não executivo na Sonae Indústria.


Uma obra de arte

(Re)veja o golo de Cristiano Ronaldo mal anulado pelo árbitro, em que o jogador faz "um chapéu" ao seu companheiro no Real Madrid, Iker Casillas, num jogo de amigável de futebol, em que Portugal venceu por 4-0.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Cimeira da NATO: Portugal blindado

A cimeira da NATO - que reúne 60 chefes de estado e de governo e que decorre no Parque das Nações, em Lisboa, de 19 a 20 de Novembro - tem sido objecto de estudo e preparação, suscitando excepcionais medidas de segurança, que começaram com a suspensão do acordo de Schengen.
Mais de 7 mil homens dos serviços de segurança portugueses e mais de 3 mil de serviços internacionais constituem o núcleo de operacionais que zelam pela segurança da cimeira que já têm identificado com precisão os pontos sensíveis.
As restrições à circulação de pessoas e viaturas na zona do Parque das Nações, em Lisboa, estão em vigor desde segunda-feira, devido à realização da Cimeira da NATO, nos dias 19 e 20.
Há várias restrições à circulação na capital, sobretudo na zona da Expo junto à Feira Internacional de Lisboa (FIL), não sendo permitida a circulação de viaturas ou pessoas a menos que pertençam à cimeira ou que estejam devidamente credenciadas para o efeito, até às 0 horas de 21 de Novembro.
As forças de segurança vão prestar especial atenção às manifestações convocadas para Lisboa e aos elementos violentos conhecidos por black bloc.
As restrições


Quem são os black bloc ?

Entretanto, para testar a vulnerabilidade da cimeira, o jornal "i" conseguiu comprar, dentro do perímetro de segurança, materiais que, combinados, poderiam servir para fazer várias bombas. Tudo por 19 euros. Confira a notícia aqui.
Certamente para comentar este(!) e outros aspectos ligados à Cimeira da NATO, responsáveis do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo (OSCOT) estarão na RTP e na TVI, nos dias 18, 19 e 20 de Novembro.



Sugestão: Leia os pontos de vista do IPRIS sobre a NATO, nomeadamente o artigo de Paulo Gorjão, publicado no "i".

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Irlanda em negociações com UE e FMI

Segundo a Bloomberg, a Irlanda está em negociações com a União Europeia (UE) e com o Fundo Monetário Internacional(FMI) para aceder ao apoio financeiro internacional de forma a apoiar as finanças públicas do país, e a injectar capital nos seus bancos.
A reunião hoje do Eurogrupo em Bruxelas surge em tempos de crise da zona euro, com a Irlanda e a crise da dívida soberana na ordem do dia. Apesar da forte pressão europeia, os irlandeses querem evitar um plano de resgate para a totalidade do Estado.
A UE procura serenar os mercados e evitar o contágio a outros países em dificuldade, como Portugal e Espanha.
A Irlanda viu disparar os juros da dívida soberana e enfrenta um défice de 32% do PIB, devido às ajudas do Estado ao sector bancário, profundamente afectado pela crise financeira, e ao colapso do sector imobiliário.

PS e PSD de costas voltadas à espera do FMI

O ministro dos Negócios Estrangeiros foi ontem à Assembleia da República para o debate na especialidade do Orçamento 2011 e disse que estava motivado para continuar em funções em resposta ao deputado Carlos Gonçalves (PSD), a propósito da entrevista dada pelo ministro ao Expresso do último fim de semana, em que afirmava que Portugal precisa de um governo de coligação e manifestava mesmo disponibildade para deixar o cargo governamental que ocupa em nome da estabilidade.
Luís Amado considera que o Orçamento para 2011 é de emergência salientando que, mais do que a sua aprovação, o que está em causa é a sua execução que não se compadece com tacticismos oportunistas. Deixa ainda claro ser indispensável um acordo mínimo que garanta a sua execução e adiantou que 2011 é um ano perfeitamente crítico para Portugal. O ministro considera, ainda, que não se pode começar o ano a anunciar uma crise política para Março, devendo, em contrapartida, ser dado um sinal aos mercados, através de um acordo de estabilidade governativa ou uma coligação.
Entretanto, um porta-voz do PSD considerou fora de tempo, descabido e insensato falar em governo de coligação nesta fase da aprovação do Orçamento do Estado e Miguel Relvas, em declarações, ontem à noite, aos jornalistas, à margem da reunião do Conselho Nacional  assumiu que o PSD não deu, não dá e não dará o seu contributo para cenários de crise e para cenários de instabilidade.

domingo, 14 de novembro de 2010

Instabilidade política

Em entrevista ao Expresso, o ministro dos Negócios Estrangeiros, em véspera da Cimeira da NATO em Lisboa, vem defender um governo de coligação, o que traduz a dificuldade do governo do PS em assumir sozinho a execução de um orçamento de austeridade que, de resto, mostra ser pouco viável, como é bem patente na subida de juro da dívida pública portuguesa, nos mercados financeiros, após o acordo entre o governo e o PSD.
Esta semana, a instabilidade política foi analisada no Plano Inclinado da SICnotícias, com Angelo Correia, Medina Carreira e Mário Crespo.
A (re)ver com atenção.

Entretanto, em Macau, Sócrates solicita ajuda internacional para a compra de dívida pública portuguesa, nomeadamente a Timor Leste, e, em declarações públicas, mostra-se compreeensivo com a entrevista do seu ministro Luís Amado. Em contrapartida, o Diário de Notícias traz a público que, em ´tempo de austeridade, o governo fez 270 nomeações num mês e meio, o que traduz um entendimento pouco compreensível da actual situação do País, por parte de quem nos governa.

sábado, 13 de novembro de 2010

Forum Macau: Wen Jiabao reúne com Sócrates e outros dirigentes de países de língua portuguesa

O primeiro ministro chinês, Wen Jiabao, reuniu-se hoje, em Macau, com os dirigentes dos países participantes da reunião ministerial do Fórum para a Cooperação Econômica e Comercial entre a China e os Países de Língua Oficial Portuguesa.
No encontro com José Socrates, Wen disse que a China apoia as medidas adoptadas pela União Europeia (UE) e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para o restabelecimento do equilíbrio financeiro e manifestou satisfação pelos efeitos positivos das medidas econômicas e fiscais adoptadas por Portugal. Wen reafirmou, ainda o desejo da China em reforçar a cooperação financeira com Portugal. Pelo seu lado, o primeiro ministro português agradeceu o apoio chinês e disse esperar que mais empresas chinesas contribuam para o aumento de investimentos em Portugal.
Na reunião com José Ramos-Horta, Wen Jiabao disse que a China apoia Timor Leste na manutenção da estabilidade, na melhoria da vida da população e na promoção do desenvolvimento económico. O Presidente Ramos-Horta agradeceu o apoio e a ajuda da China e salientou que o seu país apoia a política de uma só China e quer reforçar a cooperação bilateral em todas as áreas.
O primeiro ministro chinês teve, ainda, reuniões com dirigentes de Moçambique e da Guiné-Bissau.

De salientar, pela positiva, que Timor Leste fez-se representar pelo Presidente da República e, pela negativa, Angola, Cabo Verde e Brasil, que se fizeram representar, respectivamente, pelo ministro da Economia (Abraão Gourgel), pelo ministro de Estado e das Infra-estruturas (Manuel Inocêncio Sousa) e pelo vice-ministro para Assuntos Económicos e Tecnológicos (Pedro Carneiro Mendonça). Isto significa que os governos destes 3 últimos países não quiseram dar a importância conveniente a este fórum, preferindo relevar as relações com a China no âmbito bilateral.

Ligações sugeridas: China precisa da "rede" em português (Revista Macau); Muita acção na agenda (Hoje Macau); China, Portuguese-speaking countries hold ministerial conference on cooperation (Agência Xinhua).

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Webmail do Facebook chega na segunda-feira

O Projecto Titan do Facebook, um cliente de e-mail baseado na web, designado internamente Gmail's killer (assassino do Gmail), vai ser lançado na próxima segunda-feira, segundo anunciaram o TechCrunch e o All Facebook .
O novo webmail pretende tirar partido dos 500 milhões de utilizadores do Facebook e ultrapassar o Gmail (170 milhões), o Yahoo mail (300 milhões) e o Hotmail (360 milhões).

G20: Cimeira de Seoul termina com vitória da China ?

Terminou em Seoul a Cimeira do G20, da qual ressalta o acordo entre países ricos e emergentes em submeter ao FMI as medidas que preconizam contra os desequilíbrios externos, sem fixar critérios ou datas concretas.
Os Estados Unidos apresentaram uma proposta, duramente criticada por outros países, de limitar a 4% do PIB os saldos das contas públicas, sejam defícit ou superavit. Pelo seu lado, a chanceler Angela Merkel explicou sempre que o aumento do superavit comercial da Alemanha se deve à competitividade das empresas exportadoras alemãs e não à desvalorização da moeda, como achava a China.
Segundo o comunicado final da cimeira, os ministros das Finanças e os governadores dos bancos centrais debaterão os indicadores de desequilíbrio na primeira metade de 2011, antes da próxima cimeira do G20 que se realizará em França. Não se explicita quais os indicadores, por pressão da China, e deixou-se caír, à última da hora, a exigência de evitar manter câmbios abaixo do seu nível de equilíbrio por razões de competitividade, numa clara alusão à política intervencionista da China de evitar uma valorização significativa da sua moeda. Por outro lado, o compromisso de evitar desvalorizações competitivas é um recado para os Estados Unidos, ao reiterar que as economias avançadas, incluindo aquelas com divisas que desempenham o papel de reserva, estarão atentas a movimentos como o recente estímulo da Reserva Federal.
Veja os comentários do macroeconomista alemão Berninger, declarações de Angela Merkel e o comentário de Nuno Rogeiro na SicNotícias.




Última sondagem dá maioria a PSD

O barómetro de Novembro da Eurosondagem, para a SIC, Expresso e Rádio Renascença, dá maioria ao PSD e subida de Cavaco. O mesmo estudo dá descida de popularidade dos Juízes, do Parlamento e de Sócrates.

Justiça: Prós e contras da denúncia via web e a redução de horário de um Juíz

O Juiz Rui Rangel e o advogado Paulo Saragoça da Matta analisaram a criação pela Procuradoria Geral da República do espaço na internet para denúncia anónima de crimes de fraude ou de corrupção. Para o advogado é um incentivo ao bufismo, é perigoso e inútil.
Também é a analisada a história do juíz que decidiu reduzir o horário de trabalho*, face à redução de vencimento.
(Re)veja. Vale a pena.



_________________________
*Leia o despacho do meritíssimo aqui.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Acção global pela transparência

Está a decorrer, de 10 a 13 de Novembro em Bangcoque, no Centro de Convenções Rainha Sirkitt, a 14ª Conferência Internacional Anti-Corrupção, subordinada ao tema: "Restabelecer a confiança: Acção Global pela Transparência".
A International Anti-Corruption Conference (IACC) é o principal forum mundial que reúne chefes de Estado, representantes de governos, sociedade civil, académicos, jornalistas e sector privado, com o objectivo de combater os cada vez mais sofisticados desafios suscitados pela corrupção.
A IACC tem lugar de dois em dois anos, numa região diferente do Mundo, e atrai cerca de 1500 participantes, oriundos de 135 países
A IACC visa realçar os efeitos da corrupção através da realização de debates e toma consciência da mesma. Fomenta o intercâmbio global de experiências e metodologias para controlar a corrupção. As conferências promovem a cooperação internacional entre agências e cidadãos de todo o mundo, ajudando ao desenvolvimento de relações pessoais, através do fomento do diálogo frente a frente e da criação de alianças entre representantes de agências e organizações participantes.

Agora já pode denunciar a corrupção pela net

Numa medida de aplaudir, a Procuradoria-Geral da República tem disponível, desde ontem, no seu portal da net, uma página para a denúncia de actos de corrupção e fraudes.
É em https://simp.pgr.pt/dciap/denuncias/  e o autor da denúncia pode manter o anonimato.
Vamos ver se as polícias e os tribunais vão ter capacidade de resposta.
Conforme se pode ler no portal, a corrupção pode-se definir como o desvio de um poder para fins diferentes daqueles para que foi concedido. Ou seja, o uso (abuso) para fins particulares de um poder recebido por delegação.
Esta definição cobre uma ampla gama de práticas: os conflitos de interesse, o desvio de fundos públicos, somas extorquidas por funcionários públicos abusando do seu poder, as autoridades públicas subornadas por pessoas ou empresas para fechar os olhos ao incumprimento de certa regulamentação ou para tomar uma decisão não imparcial, ofertas ou subornos de uma empresa dirigidos ao responsável pelas compras de outra empresa, etc
.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Os amigos são para as ocasiões

Antes da sua nomeação para ajudante de ministro, Paulo Campos tinha uma empresa produtora de espectáculos, entretanto extinta, mas os seus ex-sócios não ficaram desempregados, acabando por entrar para lugares de topo na administração de empresas públicas.
Segundo noticiou ontem a Radio Renascença, o Secretário de Estado adjunto das Obras Públicas, Paulo Campos, nomeou para administrador dos correios um dos seus antigos sócios que, logo após estar no cargo, arranjou lugar na administração de uma empresa subsidiária dos CTT para outro ex-sócio.
Mais um caso de promiscuidade entre o partido do governo e o Estado. Será que a democracia é mesmo assim ou será assim a moral republicana?

Dívida pública: Juros acima dos 7%

Depois da emissão de dívida pública a 10 anos realizada pelo IGCP esta manhã a um juro de 6,806 %, em que a procura foi inferior à da última emissão, os juros das obrigações portuguesas a 10 anos negociaram acima dos 7% hoje às 13h34, tendo em conta as taxas genéricas da Bloomberg.

Um dos factores que tem pressionado as obrigações portuguesas é a proposta que vai ser apresentada ao Ecofin pela chanceler Angela Merkel e que prevê a possibilidade de prejuízos para os investidores em dívida de países que venham a ser resgatados, no quadro do fundo permanente aprovado na última Cimeira europeia.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Pela liberdade de voto para os deputados

Num debate sobre circulos uninominais, promovido, ontem, no Porto*, António José Seguro (PS) não contrariou a criação desses círculos e defendeu, como regra de votos no interior dos grupos parlamentares, o primado da liberdade de voto sobre a disciplina de voto, com excepção para as questões da governabilidade e para o contrato eleitoral. Só assim os deputados deixam de ser meros paus mandados da máquina partidária e podem pensar pela sua cabeça e assumir as suas responsabilidades.

Já Santana Lopes, também presente no debate, preferia uma reforma do sitema eleitoral com redução significativa do número de deputados, referindo que a actual CRP** já permite diminuir para 180, o que já seria uma medida bastante significativa.
Ao mesmo tempo, Santana defendeu a criação de um senado ou câmara alta a par da diminuição do peso do Estado ao nível da administração central, com a extinção nomeadamente dos cargos de governadores civis e das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional.

Na oportunidade, em declarações à SICnotícias, os dois políticos apelaram, sobretudo na actual situação do País, ao fim das clivagens entre o governo e o PSD.

Ligações: blogue de António José Seguro, blogue de Pedro Santana Lopes .

________________________________
*na Fundação Cupertino de Miranda.
**Constituição da República Portuguesa.

domingo, 7 de novembro de 2010

Análise da visita de Hu Jintao

Os contactos entre a China e Portugal remontam a 1502, durante a dinastía Ming,quando Portugal enviou o seu primeiro emissário à China.
Em 8 de Fevereiro de 1979, os dois países estabeleceram relações diplomáticas e, desde então, estas relações tiveram um incremento estável, graças aos esforços conjuntos de ambas as partes, apesar das vicissitudes do contexto internacional.
A transferência de soberanía de Macau, de Portugal para a China, en 1999, constituiu uma sólida base para o desenvolvimento das relações bilaterais no século XXI, bem patente, no anúncio, hoje, da deslocação do primeiro ministro chinês Wen Jiabao à cerimonia de inauguração da III Conferência Ministerial do Forum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os PALOP, que terá lugar em Macau no fim deste mês.
(Re)veja a análise de Nuno Rogeiro e Brandão de Brito, na SICnotícias, das relações entre Portugal e a China.

sábado, 6 de novembro de 2010

歡迎胡錦濤主席! Presidente Hu Jintao inicia hoje visita de Estado a Portugal

O Presidente da República Popular da China, Hu Jintao, efectua uma Visita de Estado a Portugal, nos dias 6 e 7 de Novembro, acompanhado de sua mulher, Senhora Liu Yongqing, em resposta a um convite do Presidente Aníbal Cavaco Silva.

A comitiva do Presidente Hu Jintao integra membros do Governo chinês, bem como uma delegação de cerca de cinquenta empresários.

O programa oficial terá início com a deposição de uma coroa de flores no túmulo de Luís de Camões, no Mosteiro dos Jerónimos, após o que o Presidente Hu Jintao e sua Mulher serão recebidos, pelo Presidente da República e Dra. Maria Cavaco Silva, no Palácio de Belém, onde terá lugar uma reunião de trabalho entre os dois Chefes de Estado.

Ainda na tarde do dia 6 de Novembro, o Presidente Hu Jintao será recebido, em audiência, pelo Presidente da Assembleia da República.

O programa do primeiro dia da visita encerra com um Banquete de Estado, no Palácio da Ajuda, oferecido pelo Presidente da República e Dra. Maria Cavaco Silva, em honra do Presidente da República Popular da China e de sua Mulher.

Na manhã do dia 7 de Novembro, o Presidente Hu Jintao terá um encontro com o Primeiro-Ministro, no Palácio das Necessidades, onde decorrerá, igualmente, um almoço, oferecido pelo Chefe do Governo, em honra do Presidente da República Popular da China e da sua delegação.

A vertente económica do programa da visita compreende um Seminário, no dia 6, promovido pela AICEP e pela Câmara de Comércio da China, e presidido pelo Ministro da Economia de Portugal e pelo Ministro do Comércio da China, com a participação de empresários dos dois países.

DIAP abre inquérito sobre acusações contra família de Sócrates

O Ministério Público abriu um inquérito sobre as declarações de um dos arguidos no julgamento de Mário Machado, dirigente da Frente Nacional, relacionadas com um alegado favorecimento da família de José Sócrates nos processos Freeport e Cova da Beira.
Fonte do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa disse hoje à agência Lusa que a certidão da 1.ª Vara Mista do Tribunal de Loures, com o depoimento de Rui Dias, “foi recebida e distribuída como inquérito”.
A certidão da 1.ª Vara Mista do Tribunal de Loures reproduz declarações de Rui Dias, condenado a uma pena única de nove anos de prisão efectiva pelos crimes de roubo, sequestro e coação, no depoimento na sessão de 30 de Junho de 2009 do julgamento de Mário Machado.

Rui Dias, um dos oito arguidos que foram julgados em Loures pelos crimes de associação criminosa, extorsão, sequestro e outros, referiu a existência de documentos de fluxos financeiros que alegadamente envolvem familiares do primeiro-ministro, José Sócrates, nos processos Freeport e Cova da Beira.

O arguido disse em tribunal que “tem documentos que referem o desvio de 383 milhões de euros”, envolvendo “o tio, o primo e a mãe” de José Sócrates.

Rui Dias foi julgado no Tribunal de Loures juntamente com Mário Machado, líder dos Hammerskins Portugal, movimento conotado com a extrema-direita, e condenado a sete anos e dois meses de prisão efectiva pelos crimes de coação, roubo, sequestro e posse ilegal de arma.

Mário Machado, que também interveio depois de um juiz do colectivo ter anunciado que iria enviar para a Procuradoria-Geral da República (PGR) a certidão, garantiu na altura que “os documentos estão em dois blocos escondidos em dois sítios diferentes”.

Também naquela sessão de julgamento, José Manuel de Castro, advogado de Mário Machado, referiu que o alegado dossier integra “comprovativos originais de depósitos e transferências de bancos em paraísos fiscais” e que entregou a documentação na PGR a 2 de Julho passado.

O juiz do colectivo da 1.ª Vara Mista do Tribunal de Loures sustentou a extracção da certidão pela “denúncia de factos graves”.

( Fonte: Público /Lusa, 2010.11.05, 18:22 )

Passos defende a cultura da responsabilidade

Certamente a pensar no bom exemplo da Islandia, em que o ex-primeiro ministro vai responder em tribunal pela situação financeira do seu país, Passos Coelho afirmou, ontem, em Viana do Castelo, que não se pode permitir que os responsáveis pelos maus resultados andem sempre de espinha direita, como se não fosse nada com eles.
O ´País precisa de uma cultura de responsabilidade: Quem impõe tantos sacrifícios às pessoas e não cumpre, merece ou não merece ser responsabilizado civil e criminalmente pelos seus actos ?
Então, se nós temos um Orçamento e não o cumprimos, se dissemos que a despesa devia ser de 100 e ela foi de 300, aqueles que são responsáveis pelo resvalar da despesa também têm de ser civil e criminalmente responsáveis pelos seus actos e pelas suas acções.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Henrique Neto: Sócrates é um vendedor de automóveis

Em entrevista publicada hoje, na edição impressa do jornal Negócios, Henrique Neto, o empresário e histórico do PS, não tem papas na língua: "Isto é uma máfia que ganhou experiência na maçonaria". E é arrasador: Sócrates "é um vendedor de automóveis" que "está no topo da pirâmide dos que dão cabo disto".
Este empresário, de 74 anos, sempre disse o que queria e o que pensava. Fala desassombradamente que no PS se utilizam técnicas da maçonaria para controlar a verdade e, depois, quando surgem críticos como ele e o Medina Carreira, a chamar a atenção para a realidade do País, acusam-nos de miserabilistas. E, logo que podem, exercem pressão nos lugares onde estão esses críticos e, se puderem silenciá-los, não hesitam, condicionando as pessoas e usando o medo que as pessoas têm de perder o emprego.
Neto conta que foi assediado pela maçonaria, em Lisboa, com a Natália Correia, mas sempre disse que, com a maçonaria, não queria nada e que, ainda hoje, continua a dizer que é a coisa pior que pode existir na políticaO arquitecto Fava é maçónico, o Sócrates entrou por essa via, e os outros todos. Até o Procurador-Geral da República...
E explica como foi a última comissão política do PS, em que Sócrates anunciou as medidas de austeridade. Convocou-a à última hora, depois de saír da conferência de imprensa, no mesmo dia, para ninguém ir preparado. Organizou o seu grupo de fiéis para fazerem intervenções sucessivas a apoiar, para que não houvesse vozes dissonantes. Não falou antes, a explicar as medidas; depois o Almeida Santos fez aquilo que faz sempre: uma pessoa pode inscrever-se com antecedência, mas só dá a palavra a quem quer.

Vale a pena ler e meditar nesta extensa entrevista (8 páginas).


Sugestão: Leia os nossos artigos Onde está, então, a democracia ? e O PEC, o PRACE e a estratégia de desenvolvimento da economia nacional .

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Contas públicas: sem estratégia não há futuro

Os juros da dívida pública continuam a subir. Provávelmente os investidores não estão seguros do cumprimento das medidas de austeridade anunciadas pelo governo.
Carlos Moreno, ex-juiz do Tribunal de Contas, e Ventura Leite, ex-deputado PS, foram ao Negócios da Semana de José Gomes Ferreira falar da crise, da necessidade de rigor e de combate ao despesismo e da falta de estratégia a médio prazo nas finanças públicas, passando pelo peso que as parcerias público-privadas (ppp) têm e terão nas contas públicas.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O Povo não é quem mais ordena

Quem manda é quem paga. Temos de nos conter dentro dos limites que podemos pagar. Por muito que nos custe, nós não mandamos nada!, Manuela Ferreira Leite dixit , hoje, na Assembleia da República. E alertou: o nível de endividamento tornou o País refém dos credores que estão a ditar as regras. A situação do País é extremamente grave.

Ferreira Leite perguntou, como foi possível o Governo conduzir-nos a este ponto ? e lembrou que ninguém nega a existência da crise mundial, mas ninguém pode negar que ela se limitou a antecipar a rotura que já se previa e para a qual há muito se alertava o Governo.

Em contraponto, (re)veja aqui a entrevista concedida por Sócrates, esta noite, à TVI. Sócrates insistiu nos argumentos utilizados anteriormente, nomeadamente que o facto das taxas de juro continuarem a subir nada tem a ver com o Orçamento. A crise não afectou apenas Portugal, mas todos os países desenvolvidos. O problema não é apenas português, disse.
Quanto à impopularidade pelas medidas tomadas: Faço o meu melhor pelo país. Nunca ninguém me ouvirá dizer que o país está de tanga ou de joelhos. A minha responsabilidade é de acção.

Aguiar-Branco culpa Sócrates

O deputado do PSD José Pedro Aguiar-Branco, em intervenção produzida ontem na Assembleia da República, sentenciou que Sócrates vai ter de passar pela vergonha de ser demitido, culpando primeiro-ministro e governo pelo aumento dos valores do défice e da dívida pública.
Entretanto, numa sondagem publicada, hoje, pelo Correio da Manhã, os eleitores culpam o governo pela crise.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Sócrates amanhã na TVI

Preocupado com as sondagens, Sócrates vai ser entrevistado amanhã na TVI, logo a seguir ao Jornal Nacional (20:00 horas), acaba de anunciar o "i" online.
A entrevista incidirá sobre, as negociações com o PSD, a pressão dos grandes da Europa, onde vai o governo buscar o dinheiro que para compensar as contrapartidas negociadas com o PSD, o que espera o governo do maior partido da oposição quando o Orçamento for debatido na especialidade - estas são algumas das perguntas que Sócrates deverá responder.
É pena que a entrevistadora não possa ser Manuela Moura Guedes, mas Sócrates não é "muito tolerante" e muito menos esquece os que se lhe opõem...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Remodelação governamental à vista ?

João Correia, secretário de Estado da Justiça, irá abandonar o governo brevemente, noticiou ontem o "Correio da Manhã", podendo dar o mote a uma remodelação governamental alargada.
O secretário de Estado da Justiça estaria farto do combate surdo que, com a sua actuação transversal na "modernização judiciária", o seu colega José Magalhães lhe estaria a mover, proporcionando infindáveis conflitos de competências.
Também estaria ressentido com o episódio de desautorização de João Correia, quando, em 21 de Outubro passado, reconduziu a procuradora Leonor Furtado à frente do Instituto da Reinserção Social (IRS) e, no dia seguinte, um despacho de José Sócrates e Alberto Martins afastou Leonor Furtado, nomeando para o cargo Ricardo Sá Gomes e fundindo as direcções-gerais dos Serviços Prisionais e da Reinserção Social.
Segundo fontes geralmente bem informadas, Sócrates aproveitará a entrada em vigor do próximo orçamento, para fazer uma remodelação alargada, tendo como escopo dar novo alento à desgastada equipa governamental, onde pontifificam desempenhos claramente insuficientes e alguns conflitos.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
                    TEMAS PRINCIPAIS
AUSTERIDADE  -  CONTAS PÚBLICAS  -  CONTRATAÇÃO PÚBLICA  -  CORRUPÇÃO  -  CRISE FINANCEIRA  -  CULTURA  -  DESPORTO  -  DGEMN  -  DIA COMEMORATIVO  -  DIREITOS FUNDAMENTAIS  -  DÍVIDA PÚBLICA  -  EDUCAÇÃO  -  ECONOMIA & FINANÇAS  -  ESTADO DA NAÇÃO  -  ÉTICA  -  HABILITAÇÕES  -  HUMOR  -  JUSTIÇA  -  LEGALIDADE  -  NOMEAÇÕES  -  PATRIMÓNIO IMOBILIÁRIO PÚBLICO  -  PLANO INCLINADO  -  POLÍTICA  -  POLÍTICA CULTURAL  -  PRACE  -  PRINCÍPIO DA MELHORIA INCONTESTÁVEL  -  REABILITAÇÃO  -  TERREIRO DO PAÇO