domingo, 13 de fevereiro de 2011

CARTÃO DE ELEITOR: MACHADO DESMENTE DALILA

Nas últimas presidenciais, os eleitores detentores do cartão de cidadão ficaram a saber que este, afinal, pode não substituir o cartão de eleitor, se os cidadãos convertidos ao cartão único não forem notificados de determinadas precauções que têm que tomar para exercerem o seu direito de voto.
O´ministro que tutela o processo eleitoral e a sua ajudante Dalila bem podem vir a público passar as culpas para baixo, para os seus ajudantes de ajudantes, que os cidadãos já perceberem que a superintendência hierárquica existe e que os subordinados são obedientes e transmitem a evolução dos negócios públicos ao seus superiores, senão já tinham ido para olho da rua. A menos que o governo - que é quem nomeia os directores gerais - escolha incompetentes e insubordinados, o que não nos parece ser este o caso, atendendo ao perfil dos visados.
Paulo Machado, ex-Director Geral da Administração Interna, desmente a Secretária de Estado Dalila Araújo, afirmando que não trabalhou sózinho no processo eleitoral, nem é insubordinado. Machado deixa transparecer que a Secretária de Estado da Administração Interna tinha conhecimento que o despacho que subscreveu não tinha sido cumprido, pelo que os eleitores com cartão de cidadão não tinham sido notificados das alterações e das suas consequências para poderem votar.


Sugestão: Veja também o vídeo e a notícia da TVI 24, Cartão eleitor: Ninguém me obrigou a demitir-me .

Sem comentários:

Publicar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
                    TEMAS PRINCIPAIS
AUSTERIDADE  -  CONTAS PÚBLICAS  -  CONTRATAÇÃO PÚBLICA  -  CORRUPÇÃO  -  CRISE FINANCEIRA  -  CULTURA  -  DESPORTO  -  DGEMN  -  DIA COMEMORATIVO  -  DIREITOS FUNDAMENTAIS  -  DÍVIDA PÚBLICA  -  EDUCAÇÃO  -  ECONOMIA & FINANÇAS  -  ESTADO DA NAÇÃO  -  ÉTICA  -  HABILITAÇÕES  -  HUMOR  -  JUSTIÇA  -  LEGALIDADE  -  NOMEAÇÕES  -  PATRIMÓNIO IMOBILIÁRIO PÚBLICO  -  PLANO INCLINADO  -  POLÍTICA  -  POLÍTICA CULTURAL  -  PRACE  -  PRINCÍPIO DA MELHORIA INCONTESTÁVEL  -  REABILITAÇÃO  -  TERREIRO DO PAÇO